16/09/19

Oportunidade ou obstáculo?




“No seio de uma montanha vivia um jardineiro. Ia todos os dias até ao riacho que corria através do vale e enchia dois potes de barro com água para o seu jardim.
Com os potes cheios e equilibrados nas extremidades de uma vara de madeira, conseguia transportá-los pelo caminho íngreme que conduzia ao seu jardim, na encosta da colina. Era um trabalho árduo, mas o homem tinha muito prazer em cuidar do seu jardim. Num quente dia de verão, a meio caminho, decidiu descansar. Quando pousou os potes, uma pequena pedra no solo fez um furo num deles.

Alguns meses mais tarde, enquanto o jardineiro dormitava junto do riacho, o pote sem furo disse para o outro:
- Não serves para nada.
O pote com furo respondeu:
- Que queres dizer com isso?
- Tens um furo. Todos os dias, o teu dono trabalha arduamente para levar água para o seu jardim, mas, quando lá chegamos, a maior parte da tua água já verteu.
Quando ouviu isto, o pote com furo ficou triste.

No dia seguinte, o pote contou ao jardineiro como se sentia.
- Diz-me, meu amigo, porque estás tão triste? – questionou o jardineiro
- Todos os dias me enches de água e trabalhas severamente para subir a montanha, mas quando chegamos ao jardim, a maior parte da água já verteu.
- isso é verdade. Tens um furo. Mas sabes o que isso quer dizer?
- Quer dizer que não sirvo para nada. Já não consigo cumprir a minha tarefa, que é transportar a água – referiu o pote sentindo-se ainda mais triste.
- Já olhaste para o caminho que subimos para chegar ao jardim? Graças a ti, a berma do caminho está cheia de flores. Quando percebi que tinhas um furo, comecei a plantar sementes ao longo do percurso. Agora, o caminho está decorado com bonitas flores e as abelhas vêm colher o pólen dessas flores.Como vês, não és nada inútil.” 
Prem Rawat


Esta mensagem é para ti que te lamentas das dificuldades que a vida te tem colocado no caminho... É para ti que não acreditas na possibilidade de acontecerem coisas boas.
Este pequeno exemplo, pretende clarificar a tua mente, mostrando-te que em qualquer adversidade ou contratempo, existe sempre um lado positivo e que só depende de ti agarrar essa oportunidade!
Aceita a tua [im]perfeição e cuida das tuas [in]capacidades, que é como quem diz, vê o lado positivo de teres construído um jardim no caminho por existir um buraco no pote.

Com amor,
Débora
SHARE:

10/09/19

Sem amor... a vida falha!




Quando o Amor nos falta, falta-nos a criatividade.
Quando o Amor nos falta, falta-nos o sorriso.
Quando o Amor nos falta, ficamos presos à rotina do dia-a-dia.
Quando o Amor nos falta, perdemo-nos de nós...

Quando o Amor morre em nós, morrem-nos os sonhos!
Perdemo-nos ao sabor do vento e os nossos objectivos ficam na gaveta...
Quando o Amor morre em nós, não há músicas ou imagens que sirvam de inspiração, perdemo-nos da nossa essência.
Quando o Amor, nos deixa... Deixa-nos um vazio. Uma espécie de ausência de conhecimento sobre nós.

Quando o Amor evapora, evapora a água que na nossa pele cai.
Quando o Amor evapora, o brilho esvai-se!
O Vazio instala-se!

Quando o Amor evapora, evapora-se a vida...

Não permitas que o teu brilho, que o teu amor por ti se evapore! 
Esse é o único que só depende de ti.
Ama-te!
Faz o melhor por ti todos os dias. Não te anules, não te boicotes à espera de receber o amor externo. 
Procura dentro de ti o teu amor. Esse estará sempre contigo, apenas precisas de cuidá-lo.

Lembra-te: És a pessoa mais importante da tua vida.

Com amor,
Débora 

SHARE:

08/09/19

Setembro = Recomeço




Ao longos dos anos em que vos escrevo, muitas vezes vos partilhei algumas vivencias pessoais, não obstante, alguns obstáculos no caminho. Nessas partilhas, trouxe-vos o tema do recomeço, como barómetro de evolução pessoal.
Setembro remete-me para a introspecção e para o que desejo alcançar até ao próximo Setembro [quase como se continuasse a ser a estudante em que o ano começa no mês nove].
Olho para o meu percurso e apercebo-me que está repleto de recomeços. E o extraordinário é que não olho com tristeza ou arrependimento, olho com alegria e entusiasmo, como se sentisse borboletas a voar dentro de mim, borboletas que me dizem que devo continuar e que a mudança é necessária para alcançar os meus sonhos.
Se é difícil? Imenso... Muitos momentos de desalento e descrença que quase boicotam o caminho que me proponho a fazer, mas mesmo no limiar da fuga, o bater de asas das borboletas dão-me a força que preciso para mudar de direção.

Isto para vos dizer, que chegou Setembro e têm nas vossas mãos a oportunidade de fazer o que quiserem com a vossa vida. Se estás feliz, continua o caminho, mas desafia-te a ir mais longe de forma a evoluíres o máximo que conseguires, pois manter tudo “sossegado” é esquecer que a vida pode ser muito mais do que a paz que já encontraste. Viver é sentir!
Se não estás feliz, muda a rota. Recomeça... Terás medo e vontade de parar e ficar nessa emoção triste a que te habituaste, mas se te levantares, se te atreveres a lutar pelo teu sonho, garanto-te que apesar das dificuldades que encontrarás, encontrarás também a emoção dentro de ti e a adrenalina de caminhar com fé até ao destino a que te propões.

Os recomeços serão sempre uma oportunidade de evolução. No momento não aceitas nem entendes essa dor e adversidade, mas depois... Depois perceberás que tinhas de recomeçar para teres a vida que tens hoje.

Desejo-vos um Setembro cheio de recomeços.


Com amor,
Débora
SHARE:
© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.