07/01/19

Não tem de mudar a sua vida




“Ano novo, vida nova”, ouve-se a cada esquina nestes primeiros dias do ano. Parece que temos de entrar na corrente ou corremos o risco de não ser integrados neste mundo de aparências e “clones” [onde está a individualidade nos dias de hoje?].

Não me parece que esse seja o caminho da felicidade que todos procuramos. Não sei se deve efetivamente procurar a mudança neste novo inicio de ano, mas sei que a verdadeira mudança e a verdadeira felicidade nascem da aceitação. Da aceitação de quem somos num todo. Isto é, aceitação do nosso corpo, de quem somos e da situação em que nos encontramos. Muitas vezes, as inseguranças com que nos debatemos diariamente existem porque achamos que as coisas deviam ser diferentes do que são.

Atualmente a sociedade exige-nos constantemente que mudemos as nossas vidas. É-nos incutida a necessidade de progredir, de fazer melhor, de parecer melhor, de nos sentirmos melhor. Temos que emagrecer, tonificar... Comer de forma mais saudável (agora é moda dietas saudáveis novas todos os dias), ter um emprego melhor, a melhor roupa do mercado e o corte de cabelo da moda, ganhar mais dinheiro (sem dinheiro não podes ter isto e aquilo e assim não és feliz)... Alguma vez lhe disseram que já é ótimo da forma como é?
Existe uma grande diferença entre querer genuinamente mudar alguma coisa na nossa vida e sentir que temos de mudar, porque temos de ser diferentes do que somos para sermos aceites ou nos integrarmos.




Olhe para si. Reflita sobre o que procura mudar em si. Existem coisas que gostaria de mudar na sua vida? Então eu questiono: porquê???
Ao longo da sua vida quantas vezes lhe disseram que não era suficientemente bom? Como construiu essa crença sobre si?
Muitas vezes estas crenças são construídas por nós! Ninguém nos julga mais do que nós mesmos.

Para começarmos a ter uma vida mais saudável e mais feliz, devemos começar pela origem. Seja qual for a mudança que pretende na sua vida, tem de partir de uma intenção genuína.
As mudanças na nossa vida podem ter como base o amor ou o medo. A mudança verdadeira, duradoura e sem sacrifico tem como base o amor. 
Cuidar do nosso bem-estar tem de começar por dentro. Tem de começar pela capacidade de nos ouvirmos e conhecermos.

Se quer mudar, mude por si, pelo amor que sente por si e não pelo amor que espera receber do mundo. Ninguém conseguirá preencher esse vazio enquanto não se amar e não viver em função do seu amor próprio.


Com Amor,
Débora
SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.