14/02/18

Quando o Amor existe... A magia acontece



Hoje venho escrever-vos sobre aquele sentimento que me move, quem me lê, já sabe do que falo. Falo-vos do sentimento mais puro e intenso que existe: o Amor!

Quando era pequena, sonhava com o dia em que me vestiria de princesa, com o dia em que celebraria o Amor, o dia do meu casamento [e ainda não casei]. Passava horas intermináveis a brincar com bonecas. Casava as minhas barbies, todas tinham direito a um amor para a vida toda [nas minhas brincadeiras de criança não existiam divórcios] e foi assim que fui crescendo, acreditando que o Amor existe e que é a coisa mais importante da vida.
Hoje, adulta, continuo a acreditar num Amor para a vida toda [não de sempre, mas para sempre].
Faço do Amor a base da minha vida, é com ele que inspiro e potencio a capacidade de mudar a quem me procura no sofá terapêutico, é sobre o Amor que escrevo e é ele, o meu guia neste caminho que é a vida.

Ouve-se dizer por aí que as pessoas não mudam. Que “pau que nasce torto, nunca se endireita” e eu costumo responder a quem me diz isso que, se assim fosse, fechava a porta do consultório.
Acredito na mudança! As pessoas mudam! E o Amor muda as pessoas!!! Sim, tenho a certeza, o Amor cura, o Amor tem a capacidade de mudar o mundo. Sabiam?
Sim... Eu sei que sim.
Mas... Tu não tens a capacidade de mudar ninguém! Nunca penses que conseguirás mudar alguém, não conseguirás. Esse processo de mudança ocorre apenas e só, se a pessoa assim o quiser e se sentir: AMOR!

Já vi muitas pessoas a mudar à minha frente, ao seu ritmo. Pessoas que erraram muito, pessoas que andaram perdidas, pessoas que sentiram amor [por elas e por mais alguém] e quiserem ser diferentes. Quiseram ser fieis, quiseram ser felizes sem “reticências” nem “mas”, pessoas que sentiram o que é verdadeiramente o Amor!

Escrevo-vos isto hoje, Dia dos Namorados, porque quero que acreditem no Amor. Ele existe! Não percam a crença de que existem finais felizes [até velhinhos].
Não desistam à primeira, nem à segunda, nem à terceira. As relações constroem-se e o Amor também.
Não é por sentires uma química incontrolável por aquela pessoa que vai transformar-se em Amor. O Amor acontece quando desistes de procurar essa “loucura” dia a dia, quando aceitas a imperfeição da tua relação, quando percebes que podes errar, que podes perdoar. Quando sentes que dá um trabalho imenso mas que vale cada segundo de esforço.

Quando descobres que aquele abraço é a tua casa, descobres o que é o Amor.

Hoje e sempre, Ama e permite-te a ser Amado.


Um abraço,

Débora Água-Doce
SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.