08/05/17

Ver com o coração




Foi já tarde que este livro veio parar à minha mão... Num momento de crescimento pessoal e profissional "caiu" o Principezinho no meu colo para nunca mais personificar apenas uma prateleira de livros, mas para sempre ficar nas memórias das aprendizagens da minha vida.
Deviam leccionar nas escolas uma cadeira com o nome "ver com o coração" ou "o essencial é invisível aos olhos", ou algo similar, em que fosse transmitida toda a simbologia da importância dos afectos.
Afectos... Amor...
As palavras mais presentes no meu blog, no meu trabalho, na minha vida.
Tento colocar amor em tudo o que faço [ás vezes não consigo], tento transmitir a sua importância diariamente e percebo [confirmo mais uma vez] que a grande dificuldade em Amar[a nós e ao outro] vem do início da nossa existência.
Houve um abraço que não recebemos, um elogio que não nos fizeram naquele dia tão importante... O colo que não tivemos quando o mundo parecia acabar. As palavras  que não ouvimos “vai ficar tudo bem”, quando estava tudo mal...
Pequenos [gigantes] detalhes que marcam a nossa forma de ver o Amor e de Amar.

É na vida adulta, que percebemos o como somos carentes de afecto e o como o precisamos todos os dias.
É na vida adulta que percebemos o como as relações são difíceis. O como sonhamos que corram bem e o como nos sentimos incapazes de o concretizar.
As relações são imperfeitas! As relações são difíceis!

Dois olhares que se cruzam... Dois corações que aceleram e duas vontades que se juntam “num só corpo”. Sonhos e promessas de que será para sempre, que esta é a pessoa certa [isso existe?], que desta vez será fácil e cor-de-rosa.

É assim que começa cada história de Amor.
Mas... O tempo passa e a perfeição desaparece [ela nunca existiu]. A paixão é “infectada” pelas imperfeições do outro e as certezas dão lugar às incertezas.
Tens medos?
Tens traumas?
Tens bagagem de uma vida?
Só queres ser feliz?
A outra pessoa também!
Por isso as relações são tão difíceis...
Todos trazemos passado que dificulta a capacidade de viver o presente.
Todos precisamos de aprender a ver com o coração.
É com o coração que conseguiremos enfrentar todas as provações que a vida nos coloca.

As relações são imperfeitas e difíceis, mas podem ser tão felizes!!!
Apenas precisas de confiar em ti, confiar no amor que sentes, ouvir o teu coração e trabalhar em equipa [não é possível amar pelos dois].
Não permitas que os medos e os desejos te façam perder do essencial!
Não permitas que o silencio e a distancia sejam família.
Lembras-te do que sentias e sonhavas?
Resgata esse sentimento bom!
Não te poupes nas palavras... Gostas de ouvir “Amo-te”?
A outra pessoa também. Diz-lhe!

Numa relação, o essencial é invisível aos olhos. Só verás bem com o coração.
Insiste na felicidade. Ela existe [dá imenso trabalho, mas vale bem o esforço].


Com Amor,

Débora Água-Doce
SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.