12/04/17

O amor que há em TI




Sabes aquela vontade bonita de ser feliz com alguém? Sabes aquela sensação de que só és feliz com o outro? Sabes aquela crença de que precisas casar e ter filhos para ser feliz? Sabes aquela ideia de que sozinha és infeliz?
Sabes sim... É o que sentes e acreditas como sendo verdadeiro.
Mas sabes, podes querer isso tudo. Podes ser feliz com alguém mas... Não podes ser infeliz se estiveres sozinha.

Vou contar-te uma estória:
Todos os dias a Ana acordava cedinho, de sorriso nos lábios saltava da cama e saia para a sua corrida matinal na praia que avistava da sua casa. De volta comprava o jornal diário e percorria os títulos, no final, oferecia-o ao vizinho que vivia da ajuda de todos. No caminho para o seu trabalho, espalhava sorrisos e energias positivas.
Passava o dia a animar crianças institucionalizadas [abandonadas], trabalho que fazia com brilho no olhar e fé no coração de que conseguia fazer a diferença nas vidas daquelas criancinhas.
De volta a casa, o seu fiel amigo esperava-a para o passeio de fim de dia.
Ana vivia uma vida feliz, sentia-se preenchida e abençoada por todos os dias que nasciam.
Certo dia, no caminho para a papelaria, chocou com o João. Homem alto, de olhar intenso... Ficaram a olhar nos olhos um do outro e nada disseram. Ana foi para casa mas com um sorriso e uma curiosidade enorme sobre quem estaria atrás daquele olhar.
Claro que se voltaram a cruzar e inevitavelmente apaixonaram-se.
Ana sentia-se extasiada de tanta felicidade, de tanto amor... Gradualmente foi abdicando das suas rotinas e a sua felicidade era a sua relação.
Lamentavelmente, João teve de ir trabalhar para fora e isso deixou Ana de rastos...
Vivia em função dos dias em que podia estar com o João.
A tristeza ocupava grande parte da sua vida...
Na cidade onde vivia, habitava um sábio muito respeitado por todos, que ao perceber a infelicidade em que vivia a Ana, decidiu ir falar com ela.
Depois de ouvir a sua história, pegou-lhe nas mãos e disse:
-"Minha filha, tu eras feliz até o João aparecer na tua vida. Não percas essa luz dentro de ti!”

Sim, é bom ter alguém [leia-se maravilhoso], mas não podemos permitir que essa seja a nossa fonte de felicidade.
Existe em cada um de nós o suficiente para sermos felizes!
Nunca percas a capacidade de sorrir, por nada nem por ninguém.
Ama-te!
A chave da felicidade está nas tuas mão e não nas mãos de alguém.


Um abraço,

Débora Água-Doce
SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.