15/03/17

Gosto de acreditar...



Gosto de acreditar que amanhã o sol vai brilhar!
Gosto de acreditar que é possível!
Gosto de acreditar que a nossa vontade determina o empenho que colocamos na nossa vida!
Gosto de acreditar que nunca é tarde para recomeçar!
Gosto de acreditar que existe em cada um de nós a capacidade de fazer acontecer!
Gosto de acreditar que não existem impossíveis!
Gosto de acreditar que existem Amores para Sempre...
Gosto de acreditar que cabe a nós permitir que esses Amores durem para Sempre...
Gosto de acreditar em Sonhos!
Gosto de acreditar que os Sonhos são concretizáveis!
Gosto de acreditar que o Amor existe!

Gosto de vos ajudar a acreditar que é possível!


Débora Água-Doce


SHARE:

14/03/17

O que se passa dentro de ti?




Ouves o teu coração primeiro em vez das vozes que te rodeiam?
Segues os teus sonhos em vez dos sonhos que te apresentam?
Tens capacidade de estar em silencio e precisas disso para te sentires bem?
Fazes coisas por ti mas pelos outros também?
És grato pelo que tens?

Sim!? Então sorri! Caminhas com Amor [amor-próprio].


Débora Água-Doce

SHARE:

13/03/17

O que andamos a fazer com “quem somos”?






Vou começar por contar-vos uma história… Uma história escrita por Saint-Exupéry! Em Terra aos Homens, conta-nos como o piloto Henri Guillaumet se perdera na cordilheira dos Andres.

“Durante três dias, ele havia caminhado sempre a direito no meio de um frio glacial. Por fim, caiu, de bruços, com a cara na neve. Aproveitando o momento de repouso inesperado, compreendeu que, se não se levantasse imediatamente, nunca mais se conseguiria por de pé. Mas, esgotado até à alma, já não lhe apetecia fazê-lo. Preferia agora uma morte suave, indolor, calma. Mentalmente, disse adeus à mulher, aos filhos. No seu coração, sentiu uma ultima vez o amor por eles. Depois, uma ideia apoderou-se dele bruscamente: se não encontrassem o seu corpo, a mulher ia ter de esperar quatro anos para receber o seguro de vida dele. Abrindo os olhos, viu então uma rocha que emergia da neve cem metros adiante. Se se arrastasse até lá, o seu corpo seria uma pouco mais visível. Talvez o encontrassem mais depressa. Por amor pelos seus, erguera-se e recomeçara a andar. Mas agora, era levado pelo seu amor. E não parou mais, percorrendo ainda mais de cem quilómetros na neve antes de chegar a uma aldeia. Mais tarde, diria: “o que fiz, nenhum animal do mundo teria sido capaz de fazer.” Quando a sua sobrevivência deixou de ser motivação suficiente, foi a consciência dos outros, o seu amor, que lhe forneceram a força para continuar”.

Costuma-se dizer que a vida é uma luta, mas uma luta que não tem valor quando travada apenas por si próprio. Exemplo disso é a história acima mencionada, foi o cuidar dos outros que ajudou o piloto a lutar pela vida.

“Se eu não tratar de mim, então quem é que trata? E se eu só tratar de mim, então sou o quê? E se eu não me preocupar com isso agora, preocupo-me quando?” Hillel, O Tratado dos Pais
Fazem-lhe sentido estas questões?
SHARE:

08/03/17

Procuras uma barbie ou uma Mulher?


Foto: Pau Storch

As barbies estão sempre arranjadinhas!
As barbies estão sempre maquilhadas e bem vestidas!
As barbies não dizem “não”, não te contrariam!
As barbies não te desafiam!
As barbies não têm desejos nem vontades!
As barbies agradam toda a gente!
As barbies são sempre elogiadas!
As barbies são sempre apreciadas e admiradas.
As barbies têm sempre uma vida social fantástica.
As barbies estão sempre a publicar fotos em biquíni e dos momentos fantásticos da sua vida!
As barbies não sofrem!
As barbies estão sempre felizes!
As barbies, não sentem!
As barbies não existem!!!!

SHARE:

06/03/17

O que fizeste hoje para ser Feliz?




Sentada à minha frente, respira fundo e de olhos no chão, diz:
-“Tudo igual, nada aconteceu esta semana... Continuo sem motivos para sorrir”
Depois de um breve silencio, questiono:
-“O que tentou para que lhe surgisse a possibilidade de sorrir?”
Silencio absoluto.
Nada... Não tentou nada.
E os dias passam, os meses passam e a tristeza apodera-se dela, como uma âncora que segura um navio para que não seja levado pela corrente.

Não deixe a sua vida ser comandada por um sentimento que a incapacita.
O seu passado pode ter um peso enorme, mas viver sem olhar para a possibilidade de fazer um hoje diferente tem um peso ainda maior.
Há quanto tempo não repara num por do sol?
Há quanto tempo não se senta num banco de jardim a sentir a brisa e os raios de sol?
Há quanto tempo não faz alguma coisa por si?
Há quanto tempo não se permite cuidar de si?
Vamos acolher essa dor, aceitá-la e transformá-la na possibilidade de uma nova “vida”. Não desista de sorrir. Insista na Felicidade!

E tu? O que fizeste hoje para ser Feliz?
Lembra-te que é um trabalho diário.:)


Um abraço,
Débora Água-Doce
SHARE:
© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.