21/04/16

Lápis cor de pele




Era uma vez uma caixa de lápis coloridos, repletos de cores lindas e brilhantes. Um verdadeiro arco-íris na minha mochila de ir para a escola.
Com eles criava um mundo de fantasia, repleto de magia!
Adorava as suas cores, o vermelho, o lilás [o meu preferido bem como o rosa], o amarelo... Mas havia um lápis que tinha um nome diferente. Um lápis que não era cor de rosa, nem azul, nem castanho... Chamavam-lhe o “lápis cor de pele”. Lápis esse de tom bege ou rosado...

Certamente esta vivência não foi apenas minha... Quem não aprendeu desta forma as cores? Quem não pegou nesse lápis para pintar a pele das pessoas desenhadas?
Olhando para isso questiono: não deveriam ter sido as nossas professoras e os nossos pais (ou outros agentes educativos) os primeiros a chamarem bege a essa cor? [afinal é esse o seu verdadeiro nome]
A cor de pele é só uma?

Nos dias de hoje continua a existir esta realidade.
Talvez esteja na altura de mudarmos a forma como ensinamos as cores às nossas crianças.
Já imaginou como uma criança de pele escura se sente quando na escola lhe dizem que a cor bege é a cor que devem usar para representar a cor de pele? Será que não se sentirá diferente? Triste por essa diferença?
Existem vários tons de pele!

Somos humanos com cores de pele diferentes.
A pele que há em mim não me faz diferente de ti!
A pele que há em mim...
A pele que há em ti...
É pele!
Somos iguais na forma de sentir e de ser.


- Débora Água-Doce -
SHARE:

2 comentários

  1. Quando vi o programa na segunda feira da SIC "E se fosse consigo?" pensei tal e qual o mesmo!

    ResponderEliminar
  2. Adorei. Sei que aprenderei cada dia consigo.Parabéns!

    ResponderEliminar

© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.