14/02/17

São Valentim... Dizem tanta coisa sobre o Amor.




Reparo no que me rodeia.
Reparo como sempre, nas relações...
Continuam a ser o meu material de trabalho privilegiado!
A elas dedico o meu olhar mais atento transportando-me para os seus olhares e sentires.

Continuo a reparar que existem casais que não o são. São para os olhos dos outros, não para os seus...
Neste meu olhar atento, também troco palavras com alguns mais próximos e acreditem, ouço coisas extraordinárias sobre relações. Coisas que revelam tudo menos um Amor... Coisas que preferia não ouvir.

Dizem que o sexo passa a ser “um picar ponto”, que se faz porque já passaram 15 dias desde a ultima vez.
Que os beijos, passam a ser automáticos e sem sentires.
Que as mãos só se dão em publico.
Que os corpos adormecem em lados opostos da cama.
Que os olhares já não se cruzam.
Que o perfume já não vicia.
Que o toque já não arrepia.
Com o olhar firme no meu, mas denotando um ar de conformação, dizem-me “as relações são todas assim”...”o brilho desaparece e não volta”.
Dizem que são ciclos, em que muitas vezes não faz sentido, mas depois volta a fazer.
Ciclos onde o desejo desaparece e a necessidade física aparece.
Ciclos em que as cedências já não se fazem...
O caminhar na mesma direção não existe mais...
Abraçam-me e dizem: “encontrei a minha felicidade no conforto desta relação. Aceitei isto...” (mais um olhar de quem se conformou...)

Toda esta visão está longe demais daquilo que para mim é uma relação!
Longe demais do que é AMAR.

Amar é transformar a Paixão em algo muito maior...
Amar é continuar a sentir “Borboletas”, apesar de não ser diariamente.
Amar é querer em qualquer dia, em qualquer hora, a presença.
É querer em qualquer noite, a todo o momento, aquele toque.
Amar é aceitar! Aceitar a imperfeição do outro!
Amar é desejar o abraço e um beijo... E um corpo!
Amar é querer cuidar! É cuidar! E demostrar!
Demonstrar carinho, todos os dias.
Amar é encontrar alguém que nos complementa e partilhar a felicidade por essa pessoa nos desejar também.
Amor é dar!
Amar, é ter medo, mas acreditar que tudo faz sentido, até quando existem dúvidas e inseguranças... E espera!
Amar é voar de mãos dadas!
É deixar voar, mesmo com medo que não volte...
Amar é sorrir, chorar, admirar, olhar, tocar, beijar...
Amar às vezes faz doer um “cadinho”, porque a vida faz doer e amar é estarmos vivos!!!
Não sentir é não amar...
Mas o Amor não é sofrimento!!! É alegria por ter acontecido!

Apesar de dizerem coisas que não gosto de ouvir, também já ouvi outras que trago comigo e fazem todo o sentido: “Quando amamos, nunca deixamos de amar. Nunca. Se assim acontecer, é porque não era amor.”

Se não for assim... é porque nunca soubemos amar-nos.

Dizem tanta coisa sobre o Amor...
Mas será que o sentem?
Será que já o sentiram?

O amor não se decide!!! Sente-se!

Feliz dia dos Namorados.



Débora Água-Doce
SHARE:
© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.