20/04/15

Entregar ou viver “com um pé dentro e outro fora”?





Gosto de histórias de amor!
Gosto de finais felizes!
Gosto de ajudar as pessoas a acreditarem nessa possibilidade!
Diariamente lido com finais não felizes e com histórias de desamor, mas eu acredito e continuarei a acreditar no Amor. E, é por isso, que tento desenvolver essa capacidade de afecto diariamente no meu consultório.
Muitas vezes perguntam-me:
“Dra, já sofri tanto... Deverei continuar a acreditar no Amor?
Deverei continuar a acreditar que existe a possibilidade de ser feliz no Amor?
Apetece-me baixar os braços e ficar sozinha para sempre...”

Entregar-se e viver a possibilidade de ficar novamente sem “tapete”?
Amar alguém e perder esse alguém?
Muitas vezes, inconscientemente, desenvolvemos mecanismos de defesa que nos bloqueiam emoções e comportamentos. O não entregar-se verdadeiramente a uma relação poderá ter sido potenciado por uma perda, uma perda difícil de ultrapassar...
Contudo, o não viver verdadeiramente uma relação, está a impedir-nos de experienciar uma relação satisfatória.
É quase como se algo faltasse sempre. O parceiro nunca será o “o outro” complementar de mim. E nisto, vivemos relações superficiais com medo de sofrer...
Mas estaremos a ser felizes?
Estaremos a dar ao outro a possibilidade de ser feliz?

Entregar ou viver “com um pé dentro e outro fora”?
Vá com medo, mas vá...
Se cair, levantamo-nos outra vez!
As vezes que forem precisas...
“Viver com um pé dentro e outro fora” não é opção.



- Débora Água-Doce -
SHARE:

Sem comentários

Enviar um comentário

© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.