26/09/13

O que é isto da Auto-Estima?



A Auto-Estima define-se pela estima que tenho por mim própria(o), ou seja, o gostar de mim.

A estima que eu tenho por mim própria(o) varia consoante os dias e os momentos. Às vezes acordo a adorar-me, com imensa vontade de ser “eu” e de viver cá dentro, neste mundo “meu” onde sou a(o) única(o) habitante.
Mas outros dias, acordo cinzenta(o) por dentro e gostar de mim, parece uma tarefa difícil…

A Auto-Estima é como o amor. É uma relação a dois, entre mim e mim própria(o), onde há dias em que as coisas correm bem, e outros em que só a voz do outro torna-se irritante. Mas no fim de contas, é tão fácil deixar-se gostar. Basta ouvir o que o “eu” tem para dizer, sair mais vezes comigo própria(o), permitir-me a ser sincera(o) cá por dentro, e acreditar mais no outra(o) que sou o “eu interno”.

A Auto-Estima, define-se pela imagem que eu tenho de mim própria(o), ou seja, a projeção interna que tenho do meu Eu.
Quando me olho ao espelho vejo não só uma imagem refletida, mas também uma imagem projetada, em que sou iludida(o) perceptivamente pelo que vejo em mim. Assim, nesse momento cruza-se a minha imagem interna com a minha imagem externa.

Mas o que faz com que algumas pessoas sejam mais seguras de si, mais estáveis emocionalmente enquanto outras se perdem, se desesperam quando algo acontece?
A diferença que permite que cada um consiga ter controlo sobe as suas emoções é o autoconhecimento.
A maioria das pessoas acredita que sabe quem é, mas na verdade conhece-se muito pouco.
Quando ama alguém, confia em alguém que pouco conhece? Geralmente amamos e confiamos apenas em quem conhecemos bem! E se não se conhece a si, como pode acreditar na sua própria capacidade? Como pretende lutar pelos seus sonhos se não acredita ser capaz? E por que não acredita ser capaz?
Porque não se conhece…

O Auto-Conceito é fundamental para a promoção da Auto-Estima. É a definição que mais se aproxima do Self ou do Eu, por ser mais amplo.

Quem sou eu?
Como me defino?
Como me identifico?
Como me apresento?
Que conceito tenho de mim própria(o)?

As respostas a estas questões, são o ponto de partida para o Auto-Conceito, que por sua vez, é o ponto de partida para a promoção da sua Auto-Estima.

Permita-se a conhecer-se melhor, permita-se a gostar de si!


Um abraço com estima,
Débora Água-Doce

SHARE:

20/09/13

Quando o sim, dá lugar ao não! – Parte II




Tic tac… O dia mais feliz de Ana, transformara-se no dia mais infeliz!
Como recuperar da dor deste momento?
Como olhar à sua voltar e aceitar que o caminho agora se faz a 1?
Tic tac… O tempo parece não passar…

Ultrapassar uma perda, pode ser bastante difícil. Revêem-se os momentos partilhados… Questiona-se o porquê… Sente-se que talvez tenhamos errado em algum momento e temos a combinação perfeita para a depressão: Desilusão + Vazio + Culpa!
Como ultrapassar a depressão quando não queremos viver?
É possível renascer?
Se realmente quiser, tudo é possível!

Inicialmente, procure apoio junto dos que lhe são mais próximos (família, amigos). Não conseguirá ultrapassar esta dor sozinho(a)!
Partilhe a sua mágoa aos seus melhores amigos, essa companhia e apoio promoverão algum bem-estar.
Cuide da sua vida social. Evite isolar-se…
Já ouviu a expressão: “A Primavera não acaba por morrer uma Andorinha?” É verdade! Dói muito, eu sei, mas a sua vida continua! O mundo não acaba com o fim de uma relação!
Todos desejamos um amor eterno e para isso procuramos a pessoa perfeita, mas na verdade não existe só uma pessoa perfeita para nós, existem várias pessoas perfeitas que vamos encontrando ao longo da nossa vida!

A vida, vai sempre colocar-nos obstáculos no caminho! Mas nós, saberemos aprender com eles e seguir em frente. Não devemos desistir, em momento algum, daquilo que realmente sonhámos para nós!

Se neste momento está a passar por uma perda, semelhante ou não, à da Ana, olhe para o futuro, analise o que correu mal no passado, identifique o que não resultou e encare esta perda, como uma oportunidade de crescimento e de aprendizagem.
Muitas noites em branco e muitas lágrimas, serão a companhia mais presente nos primeiros tempos, mas, progressivamente recuperará a energia e o amor próprio, sentindo que está preparado(a) para começar de novo e quem sabe, atrever-se a viver uma nova relação amorosa.

Tente descansar… Relaxar… Tenha em atenção o seu estado de apatia e tente fazer uma alimentação saudável! O corpo e a mente são aliados na “cura” emocional da perda.
É duro o processo de desapego… Mas é possível!
E é possível voltar a Amar!
É possível Renascer e sorrir a 2 :)
Nunca é tarde para recomeçar!


Débora Água-Doce
SHARE:

12/09/13

Quando o sim, dá lugar ao não!




Era manhã, a manhã do seu dia de princesa... Ana, tinha tudo pronto. Tudo planeado como sempre sonhou... O seu vestido reflectia a beleza no espelho... Tudo era magico...
Tic tac... O relógio teimava em não parar  e o tempo urgia para o tão esperado sim!
Chegada à igreja, a emoção era tanta que nem se apercebia dos que a rodeavam... Estava na hora de entrar...
-"Ana, o noivo está atrasado, não podes entrar ainda"
-"Quer dizer que a noiva tem fama de chegar atrasada mas é o noivo a fazer jus à profecia", disse Ana, em tom de brincadeira.
Tic tac... O relógio assinalava 1 hora de atraso...
Os convidados começavam a ficar inquietos e Ana... Ana decidiu ligar a Luís.
-"tmn... O número de telemóvel que pretende contactar, não tem voicemail activo".
O telemóvel estava desligado...
Chega o melhor amigo do noivo. Trazia o semblante pesado... Dirige-se a Ana e comunica-lhe:
-"O Luís não vem..." ... "Ele não consegue assumir este compromisso!" ... "Pede-te que não o odeies"...
Tic tac... O dia mais feliz de Ana, transformara-se no dia mais infeliz...

O que fazer quando nos tiram o "tapete"?
O que fazer quando nos dão um sonho e o transformam em pesadelo?
Como recuperar a nossa vida?

Tico tac...
O tempo não pára! 
O que fazer para "renascer"?

Lanço-lhe este tema. 
Para a semana, desenvolverei o mesmo, contudo, aguardo a sua opinião!


Débora Água-Doce



SHARE:
© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.