26/07/17

Ser avó... Ser avô...


Que saudades da minha avó…
Da avó que me viu crescer dia a dia, hora a hora… Aquela que esteve sempre lá para mim.
Aquela que acordava cedo para preparar tudo para a sua menina brincar, para a sua menina sorrir.
Foi a minha companheira, a minha amiga, a minha confidente, a minha estabilidade!!!
Tantas partilhas… Ainda me lembro de aprender a bordar, a fazer lã… Foi com a minha avó Alice que aprendi a jogar à carta e ainda gosto tanto :)
Passávamos noites a contar histórias uma à outra, ou melhor, ela contava-me histórias, umas reais, outras imaginárias, todas tão ricas, tão deliciosas…
Eramos cúmplices!


Sim, adorávamos ter os nossos segredos, aqueles que os pais nunca sonhavam ;) e era tão bom sentir que podia confiar nela…
Vivíamos num monte alentejano e por isso, a minha avó deslocava-se à cidade quase todas as semanas para fazer compras, e como eu gostava desse dia… Esperava ansiosamente que voltasse! Trazia-me sempre um ovinho de chocolate!!! Mas era um ovinho que partilhávamos juntas, eu ficava com a surpresa e ela comia o chocolate :) era um momento só nosso!!! Único!
Às vezes sentia que a minha avó tinha a minha idade. Parecia que só ela percebia o que eu dizia ou sentia e tínhamos gostos parecidos… Ela era também uma “criança”! Sim, era!!! Um dia cheguei da escola e estava ela, toda entretida a jogar Super Mario Bros na minha Nintendo, estava a treinar para depois me ganhar nos jogos que fazíamos juntas :)
Que boas recordações… Era capaz de ficar horas a falar da nossa cumplicidade e partilhas…
Já não tenho a minha avó… Ela partiu, aos meus 10 anos, altura em que o meu tão querido irmão, nasceu. Partiu serena pois sabia que eu não ficava sozinha, tinha alguém especial para novas brincadeiras e emoções…
Guardo da minha avó, as melhores recordações que possam imaginar, e trago comigo a sua capacidade de amar, incondicional.

Partilho algo muito intimo hoje, hoje que se assinala o dia dos Avós. Faço esta partilha, como forma de demonstrar a importância dos Avós para o crescimento e desenvolvimento de cada criança.
Todas as crianças deveriam ter direito a ter avós! Todas deveriam poder sentir o colo e o carinho destes segundos pais!
Entre avós e netos estabelecem-se laços que beneficiam ambas as gerações. Para os mais velhos, os netos representam a glória da vida, a famosa “cereja no topo do bolo” são o prolongamento da sua própria vida. E é este sentimento que alimenta o amor incondicional que torna a relação tão especial. Os avós ocupam um lugar único. Um lugar que reflecte a disponibilidade de estar e de escutar, de partilhar histórias e brincadeiras. Um lugar mágico! Encantado!
Eu vivi esse encanto! A minha avó, como já vos disse, chamava-se Alice, e eu sentia-me mesmo, a “Alice no País das Maravilhas”! Era mesmo assim!!! Acreditem…

Os avós são também uma ponte com o passado, uma ponte que integra histórias de diferentes gerações. São um facilitador também entre pais e filhos, pois revelam muitos episódios de quando os pais eram crianças, o que promove identificação e aproxima as crianças dos pais, mostrando-lhes um lado desconhecido daqueles que, têm o difícil papel da autoridade e das regras.
Os avós são fonte de carinho infindável. Proporcionam todos os mimos que não chegam dos pais, quase sempre atarefados em trabalho e preocupações que pouco tempo deixam para ouvir e brincar com os filhos.
As crianças precisam de ser ouvidas!!!
Não é fácil crescer! Crescer implica dúvidas, angústias e medos, conflitos internos e externos que, apesar de naturais, são perturbadores. Se os pais não têm tempo para ouvir os filhos, dificilmente se apercebem destas situações e a disponibilidade dos avós é uma garantia de atenção e conforto.
Os avós, quando presentes, são o refúgio dos netos! E é tão bom…

Bom dia dos Avós a todos os avós do mundo e à minha avó em especial, por ter contribuído para quem hoje sou…
Obrigada!


Débora Água-Doce
SHARE:

3 comentários

  1. Mara Roncha26/07/13, 01:16

    Mais uma partilha fantástica!! ;)

    ResponderEliminar
  2. Fizeste-me chorar... estás contente?
    Identifiquei-me muito com este teu post.
    Felizmente tive a felicidade de usufruir dessa cumplicidade até aos meus 27 anos.
    A minha Avó tinha o sorriso mais lindo do Mundo e era com esse tão famoso e luminoso sorriso que recebia fosse quem fosse.
    A Ela devo muito de quem sou hoje e nos momentos mais dificeis tento recordar-me das palavras que me deixou gravadas.
    Obrigada por esta partilha *

    ResponderEliminar
  3. A minha avó também se chama Alice. Maria Alice.

    Ainda a tenho comigo e não quero sequer imaginar o que será da minha vida se não a tiver por perto.

    O texto está mto bonito.

    Um beijinho grande.

    ResponderEliminar

© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.