15/03/17

Gosto de acreditar...



Gosto de acreditar que amanhã o sol vai brilhar!
Gosto de acreditar que é possível!
Gosto de acreditar que a nossa vontade determina o empenho que colocamos na nossa vida!
Gosto de acreditar que nunca é tarde para recomeçar!
Gosto de acreditar que existe em cada um de nós a capacidade de fazer acontecer!
Gosto de acreditar que não existem impossíveis!
Gosto de acreditar que existem Amores para Sempre...
Gosto de acreditar que cabe a nós permitir que esses Amores durem para Sempre...
Gosto de acreditar em Sonhos!
Gosto de acreditar que os Sonhos são concretizáveis!
Gosto de acreditar que o Amor existe!

Gosto de vos ajudar a acreditar que é possível!


Débora Água-Doce


SHARE:

14/03/17

O que se passa dentro de ti?




Ouves o teu coração primeiro em vez das vozes que te rodeiam?
Segues os teus sonhos em vez dos sonhos que te apresentam?
Tens capacidade de estar em silencio e precisas disso para te sentires bem?
Fazes coisas por ti mas pelos outros também?
És grato pelo que tens?

Sim!? Então sorri! Caminhas com Amor [amor-próprio].


Débora Água-Doce

SHARE:

13/03/17

O que andamos a fazer com “quem somos”?






Vou começar por contar-vos uma história… Uma história escrita por Saint-Exupéry! Em Terra aos Homens, conta-nos como o piloto Henri Guillaumet se perdera na cordilheira dos Andres.

“Durante três dias, ele havia caminhado sempre a direito no meio de um frio glacial. Por fim, caiu, de bruços, com a cara na neve. Aproveitando o momento de repouso inesperado, compreendeu que, se não se levantasse imediatamente, nunca mais se conseguiria por de pé. Mas, esgotado até à alma, já não lhe apetecia fazê-lo. Preferia agora uma morte suave, indolor, calma. Mentalmente, disse adeus à mulher, aos filhos. No seu coração, sentiu uma ultima vez o amor por eles. Depois, uma ideia apoderou-se dele bruscamente: se não encontrassem o seu corpo, a mulher ia ter de esperar quatro anos para receber o seguro de vida dele. Abrindo os olhos, viu então uma rocha que emergia da neve cem metros adiante. Se se arrastasse até lá, o seu corpo seria uma pouco mais visível. Talvez o encontrassem mais depressa. Por amor pelos seus, erguera-se e recomeçara a andar. Mas agora, era levado pelo seu amor. E não parou mais, percorrendo ainda mais de cem quilómetros na neve antes de chegar a uma aldeia. Mais tarde, diria: “o que fiz, nenhum animal do mundo teria sido capaz de fazer.” Quando a sua sobrevivência deixou de ser motivação suficiente, foi a consciência dos outros, o seu amor, que lhe forneceram a força para continuar”.

Costuma-se dizer que a vida é uma luta, mas uma luta que não tem valor quando travada apenas por si próprio. Exemplo disso é a história acima mencionada, foi o cuidar dos outros que ajudou o piloto a lutar pela vida.

“Se eu não tratar de mim, então quem é que trata? E se eu só tratar de mim, então sou o quê? E se eu não me preocupar com isso agora, preocupo-me quando?” Hillel, O Tratado dos Pais
Fazem-lhe sentido estas questões?
SHARE:

08/03/17

Procuras uma barbie ou uma Mulher?


Foto: Pau Storch

As barbies estão sempre arranjadinhas!
As barbies estão sempre maquilhadas e bem vestidas!
As barbies não dizem “não”, não te contrariam!
As barbies não te desafiam!
As barbies não têm desejos nem vontades!
As barbies agradam toda a gente!
As barbies são sempre elogiadas!
As barbies são sempre apreciadas e admiradas.
As barbies têm sempre uma vida social fantástica.
As barbies estão sempre a publicar fotos em biquíni e dos momentos fantásticos da sua vida!
As barbies não sofrem!
As barbies estão sempre felizes!
As barbies, não sentem!
As barbies não existem!!!!

SHARE:

06/03/17

“Sei de cor a tua pele, sei o perfume a que cheira”





Sempre o mesmo cheiro, os mesmos olhares, os mesmos medos e ansiedades.
Toda uma vida a caminhar com os olhos no chão... Com receio de ser olhada [se tu não olhares não sabes se és olhada, acreditas que não te olham e segues de olhos no chão].
Caminhas com medo de não ser capaz, de não estar à altura, de não ser suficientemente boa...

O perfume! O mesmo perfume [há anos]. Um perfume doce e tão teu... Aquele cheiro que todos sabemos que é teu.

SHARE:

O que fizeste hoje para ser Feliz?




Sentada à minha frente, respira fundo e de olhos no chão, diz:
-“Tudo igual, nada aconteceu esta semana... Continuo sem motivos para sorrir”
Depois de um breve silencio, questiono:
-“O que tentou para que lhe surgisse a possibilidade de sorrir?”
Silencio absoluto.
Nada... Não tentou nada.
E os dias passam, os meses passam e a tristeza apodera-se dela, como uma âncora que segura um navio para que não seja levado pela corrente.

Não deixe a sua vida ser comandada por um sentimento que a incapacita.
O seu passado pode ter um peso enorme, mas viver sem olhar para a possibilidade de fazer um hoje diferente tem um peso ainda maior.
Há quanto tempo não repara num por do sol?
Há quanto tempo não se senta num banco de jardim a sentir a brisa e os raios de sol?
Há quanto tempo não faz alguma coisa por si?
Há quanto tempo não se permite cuidar de si?
Vamos acolher essa dor, aceitá-la e transformá-la na possibilidade de uma nova “vida”. Não desista de sorrir. Insista na Felicidade!

E tu? O que fizeste hoje para ser Feliz?
Lembra-te que é um trabalho diário.:)


Um abraço,
Débora Água-Doce
SHARE:

26/02/17

Um tempo em que não há tempo...




Na mudança há um tempo de pausa... 
Um tempo de estar com o pensamento. Um tempo em que as palavras escasseiam.
Na mudança há um tempo em que não há tempo... 
Não há tempo para nada além de viver e sentir mais um dia a nascer.

Tal como vocês, também eu sou repleta de sonhos, vontades, sentires. 
Também eu tenho os meus retiros, os meus silêncios, as minhas mudanças.
Sei que ultimamente não vos tenho brindado com a minha escrita, sei que tenho estado mais em silencio deste lado, mas sei que vocês compreendem e continuam aí desse lado à espera do meu regresso.
Esta página é mais vossa do que minha, é para vós que escrevo, são vocês que me inspiram.
É no acreditar na felicidade, no amor e numa vida melhor que baseio as minhas palavras, é no acreditar que vos planto a semente da fé das coisas bonitas que nos podem acontecer.

Deste lado, está tudo bem, apenas é um tempo em que não há tempo. 
Um tempo de mudança, de balanço, um tempo em que nascerão coisas novas, boas e bonitas.
Um tempo de [re]começar cheia de luz.
Estarei sempre aqui, mesmo que mais ausente.

Até já!

A vossa,

Débora
SHARE:
© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.