14/02/18

Quando o Amor existe... A magia acontece




Hoje venho escrever-vos sobre aquele sentimento que me move, quem me lê, já sabe do que falo. Falo-vos do sentimento mais puro e intenso que existe: o Amor!

Quando era pequena, sonhava com o dia em que me vestiria de princesa, com o dia em que celebraria o Amor, o dia do meu casamento [e ainda não casei]. Passava horas intermináveis a brincar com bonecas. Casava as minhas barbies, todas tinham direito a um amor para a vida toda [nas minhas brincadeiras de criança não existiam divórcios] e foi assim que fui crescendo, acreditando que o Amor existe e que é a coisa mais importante da vida.
Hoje, adulta, continuo a acreditar num Amor para a vida toda [não de sempre, mas para sempre].
Faço do Amor a base da minha vida, é com ele que inspiro e potencio a capacidade de mudar a quem me procura no sofá terapêutico, é sobre o Amor que escrevo e é ele, o meu guia neste caminho que é a vida.

Ouve-se dizer por aí que as pessoas não mudam. Que “pau que nasce torto, nunca se endireita” e eu costumo responder a quem me diz isso que, se assim fosse, fechava a porta do consultório.
Acredito na mudança! As pessoas mudam! E o Amor muda as pessoas!!! Sim, tenho a certeza, o Amor cura, o Amor tem a capacidade de mudar o mundo. Sabiam?
Sim... Eu sei que sim.
Mas... Tu não tens a capacidade de mudar ninguém! Nunca penses que conseguirás mudar alguém, não conseguirás. Esse processo de mudança ocorre apenas e só, se a pessoa assim o quiser e se sentir: AMOR!

Já vi muitas pessoas a mudar à minha frente, ao seu ritmo. Pessoas que erraram muito, pessoas que andaram perdidas, pessoas que sentiram amor [por elas e por mais alguém] e quiserem ser diferentes. Quiseram ser fieis, quiseram ser felizes sem “reticências” nem “mas”, pessoas que sentiram o que é verdadeiramente o Amor!

Escrevo-vos isto hoje, Dia dos Namorados, porque quero que acreditem no Amor. Ele existe! Não percam a crença de que existem finais felizes [até velhinhos].
Não desistam à primeira, nem à segunda, nem à terceira. As relações constroem-se e o Amor também.
Não é por sentires uma química incontrolável por aquela pessoa que vai transformar-se em Amor. O Amor acontece quando desistes de procurar essa “loucura” dia a dia, quando aceitas a imperfeição da tua relação, quando percebes que podes errar, que podes perdoar. Quando sentes que dá um trabalho imenso mas que vale cada segundo de esforço.

Quando descobres que aquele abraço é a tua casa, descobres o que é o Amor.

Hoje e sempre, Ama e permite-te a ser Amado.


Um abraço,

Débora Água-Doce
SHARE:

07/02/18

O amor que há em TI





Sabes aquela vontade bonita de ser feliz com alguém? Sabes aquela sensação de que só és feliz com o outro? Sabes aquela crença de que precisas casar e ter filhos para ser feliz? Sabes aquela ideia de que sozinho és infeliz?
Sabes sim... É o que sentes e acreditas como sendo verdadeiro.
Mas sabes, podes querer isso tudo. Podes ser feliz com alguém mas... Não podes ser infeliz se estiveres sozinho.

Vou contar-te uma estória:
Todos os dias a Ana acordava cedinho, de sorriso nos lábios saltava da cama e saia para a sua corrida matinal na praia que avistava da sua casa. De volta comprava o jornal diário e percorria os títulos, no final, oferecia-o ao vizinho que vivia da ajuda de todos. No caminho para o seu trabalho, espalhava sorrisos e energias positivas.
Passava o dia a animar crianças institucionalizadas [abandonadas], trabalho que fazia com brilho no olhar e fé no coração de que conseguia fazer a diferença nas vidas daquelas criancinhas.
De volta a casa, o seu fiel amigo esperava-a para o passeio de fim de dia.
Ana vivia uma vida feliz, sentia-se preenchida e abençoada por todos os dias que nasciam.
Certo dia, no caminho para a papelaria, chocou com o João. Homem alto, de olhar intenso... Ficaram a olhar nos olhos um do outro e nada disseram. Ana foi para casa mas com um sorriso e uma curiosidade enorme sobre quem estaria atrás daquele olhar.
Claro que se voltaram a cruzar e inevitavelmente apaixonaram-se.
Ana sentia-se extasiada de tanta felicidade, de tanto amor... Gradualmente foi abdicando das suas rotinas e a sua felicidade era a sua relação.
Lamentavelmente, João teve de ir trabalhar para fora e isso deixou Ana de rastos...
Vivia em função dos dias em que podia estar com o João.
A tristeza ocupava grande parte da sua vida...
Na cidade onde vivia, habitava um sábio muito respeitado por todos, que ao perceber a infelicidade em que vivia a Ana, decidiu ir falar com ela.
Depois de ouvir a sua história, pegou-lhe nas mãos e disse:
-"Minha filha, tu eras feliz até o João aparecer na tua vida. Não percas essa luz dentro de ti!”

Sim, é bom ter alguém [leia-se maravilhoso], mas não podemos permitir que essa seja a nossa fonte de felicidade.
Existe em cada um de nós o suficiente para sermos felizes!
Nunca percas a capacidade de sorrir, por nada nem por ninguém.
Ama-te!
A chave da felicidade está nas tuas mãos e não nas mãos de alguém.


Um abraço,

Débora Água-Doce
SHARE:

30/01/18

Eu ajudo-te!




O teu despertador toca... Sentes uma vontade imensa de o desligar e apenas fechar os olhos. Anseias ficar nesse aconchego e não ter de encarar o mundo. Não ter de olhar para o espelho e vestir a “capa” que mostra que a tua vida é ótima.
Há uma tristeza dentro de ti que não consegues explicar e que teima em permanecer ao teu lado, diariamente, desde que te lembras de ser gente...
Sais de casa e enfrentas mais um dia!
Chegas ao trabalho e o teu dia passa a “conta gotas”, a tua pouca energia esvai-se ainda pela manhã e terminas o teu dia exausto, sem vontade de fazer seja o que for.
Chegas a casa e “mergulhas” na tua cama.

Olha bem para ti... Para o teu “eu” que se encontra no interior de ti mesmo. Atreve-te a sentir e olhar mais um pouco. Eu sei que dói, mas... Quem és? Sabes?
Consegues chegar ao inicio dessa tristeza e desse vazio que trazes contigo? Talvez não o saibas ainda, talvez tenhas de aceitar esta dor e continuar a olhar para o teu intimo. Talvez este processo demore, mas... Tens de passar por ele.
A base da tua felicidade e do teu bem-estar, é a capacidade que tens de olhar para ti com amor.
Eu sei que não és perfeito! Eu sei que desde cedo procuras a “perfeição das capas de revista”. Eu sei que sofres ao achar que todos são mais e melhor que tu!
Eu sei que gostavas de ser diferente.
Mas também sei que és muito melhor do que aquilo que pensas e vês. Sei que construíste uma imagem depreciativa de ti próprio desde cedo e que acreditas ser verdadeira. Sei que boicotaste muitas coisas na tua vida para auto confirmar a crença de que não és suficientemente bom.
Sei tudo isso e muito mais. Consigo compreender o que sentes e o que pensas. Consigo ouvir o teu coração a pedir ajuda [quero ser feliz] e com uma réstia de fé de que é possível fazer da tua vida um lugar diferente!

E é mesmo possível!!!
É por ti e por todos nós que tenho em mãos esta profissão/missão.
Estou aqui à tua espera para iniciarmos esta viagem que tem como destino a tua AutoEstima.


Um abraço,

Débora Água-Doce
SHARE:

03/01/18

Esta nova oportunidade de cuidares de ti


No início do ano, é frequente fazerem-se planos para os meses que se seguem. É frequente comprometermo-nos com mudanças que queremos para nós.
Neste novo reinicio, trago-vos a sugestão de olharem para “dentro do vosso coração”.

Esta poderá ser uma boa fase para se dedicar ao conhecimento e à descoberta de si mesmo. Tudo o que todos estes anos tentou conter, todas as feridas que finge não ver, todas as lágrimas por chorar… Talvez esteja na hora de as enfrentar!
Se vai doer? De certeza… Remexer o passado nunca é agradável num primeiro embate, mas quando tudo se começar a resolver e a dor assentar, a leveza que o seu espírito vai sentir, traz consigo a felicidade.
Onde está a raiz do problema? Consegue perceber? Então vá até ao mais fundo do seu Ser e procure… procure… e encontre!

O melhor investimento que poderá fazer na sua vida é em Si! No aprofundamento da consciência de quem é!
Somos seres em constante evolução e podemos ser hoje e amanhã, muito melhor do que fomos ontem, mas para isso, é preciso olhar para bem dentro de nós e aceitar essa imperfeição que nos leva por caminhos de dor...

Se sentir dificuldade em fazer esse caminho sozinho ou se preferir fazê-lo com “a luz de um farol a iluminar o seu caminho”, procure ajuda de um especialista. A psicoterapia é uma ferramenta que facilita essa leitura e promove o encontro com o bem-estar.

Votos de um 2018 repleto de consciência de quem é e de consciência dos seus atos.




Um abraço,
Débora Água-Doce


SHARE:

29/12/17

Ano Novo...

No inicio do ano, fazem-se projectos e sonha-se com um futuro melhor. Um novo ano é sinónimo de resoluções e Janeiro representa a ideia de um reinício.

“Este ano vou deixar de fumar”. “Vou emagrecer”. “Vou inscrever-me no ginásio”. “Vou dedicar mais tempo à minha familia”.” Vou cuidar mais de mim”. “Vou fazer uma poupança”. “Vou fazer voluntariado”. “Vou adoptar um animal”. “Vou saltar de pára-quedas”...
São as principais resoluções de passagem de ano, motivadas pela necessidade de fugir à rotina, de querer sentir adrenalina por algo desconhecido e a esperança de que seja um ano risonho repleto de emoções!



Deixo-lhe algumas dicas para que os seus objectivos de ano novo se concretizem:
- Foque-se apenas em 2 ou 3 – Que objectivos podem introduzir alterações positivas na sua vida? Muitos projetos podem levar à dispersão, dificultando o enfoque de energia para o resultado final.
- Questione-se: Os meus objectivos são exequíveis? Ou demasiado ambiciosos? Se os objectivos forem desajustados aos recursos que dispõe, pode estar a entrar numa “ratoeira” que apenas conduzirá a frustração.
- Crie objectivos quantificáveis e concretos, estes garantem a manutenção da motivação e o alcance do sucesso.
- Estes objectivos, realmente são importantes para si? Existem motivos para os querer? São objectivos definidos por si ou formulados a partir do que os outros esperam de si? É muito difícil manter a motivação se não forem mesmo os seus objectivos.
- Elabore um plano para alcançar os seus objectivos, focando-se nas seguintes questões: O que preciso? Que contactos podem ser úteis? Quais são as pessoas que me poderão auxiliar?
- Se possível, divida o seu plano em etapas mais pequenas. É mais fácil cumprir pequenos passos e ir sentido pequenas vitórias, atribua a si mesmo uma pequena recompensa por cada fase que conseguir atingir, é alimento para a sua motivação. Estabeleça metas! Escolha datas para obtenção de resultados, sem datas atribuídas para cada pequena fase do seu plano, o ano acabará por passar e nada será alcançado…
- Comprometa-se consigo próprio – Faça um “contrato”! É importante que o seu plano exista em concreto, de outra forma corre o risco de com o tempo acabar por se esquecer daquilo a que se tinha proposto. Escreva-o e mantenha-o por perto, este exercício, aumenta o seu grau de compromisso.

E se mesmo assim não conseguir?
Não desista!
Reveja os seus objectivos. Eram realmente importantes para si?




- Débora Água-Doce -
SHARE:
© A Psicóloga que também é Blogger . All rights reserved.